Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Socorro, são gémeos!

Socorro, são gémeos!

28
Abr20

Prematuridade - um pequeno grande susto!

IMG_20200120_195523-COLLAGE.jpg

 

Como referimos anteriormente, os nossos bebés corriam o risco de nascer antes do tempo e com peso abaixo do normal. Começou assim o nosso contacto com a neonatologia. Levaram-nos a visitar uma bebé que nasceu com 700 gramas e já tinha conseguido chegar às 1000 gramas, para termos contacto com a nossa realidade.

E a nossa história continua.

Um bebé que nasça antes das 37 semanas é considerado prematuro e podem ser designados de diferentes formas: Pré-termo limiar (nascidos entre as 33 e as 36 semanas, e/ou peso ao nascimento entre os 1500 e os 2500 gramas); Prematuro moderado (nascidos entre as 28 e as 32 semanas, e/ou peso ao nascimento entre as 1000 e os 1500 gramas); Prematuro extremo (nascidos antes das 28 semanas, e/ou peso ao nascimento inferior a 1000 gramas). Estes bebés necessitam de uma atenção especial e cuidados diferentes.

Quando fui internada um dos meus bebés ainda não tinha 1000 gramas, explicaram-nos logo que, caso ele tivesse que nascer já, poderia ter de ir para os cuidados intensivos. Ficámos cheios de medo, foi um pequeno grande susto. Graças a Deus e à médica querer arriscar esperar, tudo não passou de um susto, conseguimos aguentar mais algumas semanas. Um dos bebés nasceu com 2800 gramas o outro com 1300 gramas. Foram os dois para os cuidados intensivos mas logo logo transferidos para os cuidados intermédios.

As dificuldades, em geral, de um bebé prematuro são principalmente em três áreas: controle da temperatura corporal, respiração e alimentação. Graças a Deus os meus não precisaram de ventilação nem ajuda nessa área. Precisaram sim de incubadora para ajudar na temperatura corporal e de sonda gástrica para a alimentação. O nosso pequeno teve algumas complicações, apanhou uma bactéria através dos cateteres tendo que tomar antibiótico, inclusivé não aguentava os cateteres nas mãos tendo que, assustadoramente, colocar o cateter na cabeça. Assustadoramente, também, tinha depressões cardíacas, o seu coraçãozinho ia abaixo algumas vezes. Ficámos três semanas nos cuidados intermédios, com fios e sondas agarrados.

Nesta situação a única coisa que podemos fazer é confiar nos médicos e equipa médica e esperar, orando para que Deus o ajude. Esperar sem desesperar e chorar para ajudar a aliviar.

Hoje estão bem, um ainda mais pequeno que o outro, e por incrível que pareça só o nosso maior ainda tem dificuldade na alimentação.

 

 

 

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

37 anos, no estrangeiro, cesariana prematura de gémeos...sobrevivi.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D